Já ouviu falar de sonhos que acabaram se tornando pesadelos?

Já ouviu falar de sonhos que acabaram se tornando pesadelos?Já ouviu falar de sonhos que acabaram se tornando pesadelos?

Já ouviu falar de sonhos que acabaram se tornando pesadelos? A crônica de hoje tem por objetivo mostrar como o sonho de empreender um restaurante pode se tornar um pesadelo e por quais motivos. Para aumentar a compreensão do fato quero deixar claro que é uma historia real, e que os nomes da empresa e do empreendedor.

O restaurante funciona há 05 anos e tem por proprietário o Sr “João da Silva”, quem durante a maior parte da sua vida trabalhou vendendo sapatos e posteriormente gerenciando lojas do setor. Durante este período o Sr João da Silva conseguiu oferecer uma vida confortável a sua família e acumular bens e reserva financeira que o permitiriam desfrutar confortavelmente sua vida por vários anos.

Porém depois de mais de dez anos trabalhando numa mesma empresa o Sr João da Silva, já enfadado de trabalhar no mesmo lugar e no mesmo setor decidiu sair da empresa que trabalhava. Com o dinheiro da rescisão e mais as economias que detinha após vários anos de trabalho bem sucedido, Neli recebeu de um amigo churrasqueiro a informação “infalível” que montar uma churrascaria seria um negocio altamente rentável e seguro.

Sem qualquer planejamento prévio o Sr João aplicou todas as suas economias em um negocio que desconhecia totalmente e que ao longo do tempo foi dilapidando todo seu patrimônio.

Hoje o Sr João da Silva junto com sua esposa e dois filhos “tocam” um restaurante com 84 lugares com o auxilio de apenas uma cozinheira.

Desta forma o restaurante funciona de forma precária com preços totalmente defasados a ponto de o empreendedor não conseguir pagar salários para a própria família e atrasar pagamentos com fornecedores e o aluguel do ponto comercial aonde a empresa se localiza.

O restaurante não tem nenhum tipo de pesquisa ou fonte de informação para tomada de decisão à respeito de preferências e desejos dos clientes e nem mais capital de giro para mudanças estratégicas.

Depois de relatado o fato poderíamos simplesmente convencionar que “foi falta de sorte e que muitos restaurantes fazem o mesmos e tem relativo sucesso”. Eis o primeiro erro cometido por empreendedores mal sucedidos:

   Contar com a sorte – Deixar o sucesso de uma empresa por conta da sorte e como pular de pára-quedas sem conferir se dentro da mochila existe realmente um pára-quedas! Empresas bem sucedidas são fruto de planejamento constante e constante adequação ao mercado.

Outro fator que compromete o sucesso do empreendimento é:

   Levar em conta opiniões de pessoas que não tem conhecimento do assunto- Churrasqueiro entende de churrasco e não de gestão empresarial, desta forma procurar conselhos e oportunidades com pessoas que não conhecem profundamente os assuntos em questão redundará em conselhos tendenciosos e equivocados. Cabe aos atuais e futuros empreendedores buscar ajudas profissionais, investindo na contratação de especialistas para maximizar as chances de sucesso de sua empresa. Existem também serviços públicos que tem por objetivo fomentar empresas de pequeno porte de diversas áreas, que apresenta grande efetividade no auxilio ás referidas empresas.

   Insistir no erro: Persistir investindo  em um negócio mesmo depois de um longo período em que ele está no vermelho.

   Não manter registros financeiros : Registros financeiros são faróis que indicam nosso o caminho que devemos tomar frente à uma tempestade de incertezas. Para um empreendedor facilitam a tomada de decisões e permitem eficácia no planejamento e implementação de atividades dentro da empresa.

Jonatas Mascarenhas
Proprietário da empresa Academia do Sabor, maitre; chefe de bar; instrutor; palestrante, organizador e consultor para restaurantes, hotéis, bares e similares (15) 99676-1656